«A forma inteligente de manter as pessoas passivas e obedientes é limitar estritamente o espectro da opinião aceitável, estimulando concomitante e muito intensamente o debate dentro daquele espectro... Isto dá às pessoas a sensação de que o livre pensamento está pujante, e ao mesmo tempo os pressupostos do sistema são reforçados através desses limites impostos à amplitude do debate».Noam Chomsky

"The smart way to keep people passive and obedient is to strictly limit the spectrum of acceptable opinion, but allow very lively debate within that spectrum - even encourage the more critical and dissident views. That gives people the sense that there's free thinking going on, while all the time the presuppositions of the system are being reinforced by the limits put on the range of the debate." – Noam Chomsky

It will reopen now and then.



18 de março de 2007

O pesadelo (Wrong Way)


Esta noite tive um pesadelo.

Sonhei com um país com o qual Portugal não podia manter relações comerciais.

Um país onde, por um lado, havia restrições (em catadupa) destinadas aos mais desfavorecidos e, por outro, havia o alargamento de regalias de que gozavam apenas pequenas minorias.

Para os primeiros, eram maternidades que fechavam; eram serviços de urgência que encerravam; eram consulados que desapareciam; eram impostos e preços de bens que subiam; eram ordenados congelados; eram fábricas que se deslocalizavam; eram empregos que faltavam; eram... etc., etc.

Para os segundos, eram os elevados privilégios fiscais que se mantinham; era a melhoria das leis para defesa dos seus interesses; eram promessas de virem a gerir os serviços nacionais de saúde; eram... etc., etc.

Nesse pesadelo dei comigo a perguntar-me:

"Como seria este país se todos, os que ainda têm emprego, deixassem de trabalhar durante seis meses e passassem a sustentar os seus filhos através da sua força de trabalho, por conta própria, na lavoura ou na pesca ?"

Estava certo de que o país pararia, literalmente.

Mas seria que o país se desmonorava se apenas patrões e muitos políticos fossem de férias?

Não, não paralizaria. Funcionaria com menos burocracia, talvez um pouco anarquicamente, mas funcionaria.

Por isso apeteceu-me, nesse pesadelo, dizer a quem nos governava e a quem nos empregava:

"Tenham cuidado rapazes, olhem que nós podemos acordar!"

História do Fado: AQUI

26 comentários:

Kalinka disse...

Concordo: Cuidado, olhem que nós podemos acordar!!!

A dedicatória que deixo neste dia 19 de Março é para todos os Pais do Mundo: sejam bons Pais, tenham orgulho de saber criar e educar os vossos filhos, hoje e sempre.

Apeteceu-me
«Olhar, sentir, captar»
No regresso, vim por Aljezur, parei nas Azenhas do Mar, passei em Vila Nova de Milfontes, depois Ilha do Pessegueiro e, já o sol ameaçava se esconder, cheguei a Porto Covo, onde assisti ao maravilhoso espectáculo do pôr-do-sol.
Ali, fiquei presa ao chão, estarrecida com tamanha beleza do horizonte, da força do mar e, captei com a minha objectiva as mais fabulosas fotos de toda a viagem.
Andei por aí, meti o nariz… como faço, como gosto, como quis!!!...

Boa semana para TI.
Beijos e abraços.

Escorpiana Explosiva disse...

GOSTO QUANDO AS PESSOAS VENHAM NO MEU BLOG ME FALAR O Q ACHAM DO MEUS COMENTARIOS ASSIM COMO GOSTAM DA MINHAS POSTAGENS.

NÃO ASSISTO TV,NÃO ESTOU LEMBRADA AD VOZ DELA + VOU PROCURA SABER.

BJO

motormotor disse...

Irra....que cena!

Sulista disse...

Eu se fosse a Vós, já tinha acordado há muito tempo...MAS
mais vale tarde do que nunca!
:-)

E quem sabe este pesadelo não é tirado duma cena real...? Eheheh!

Abraços

Fallen Angel disse...

Sim... continuamos a dormir. Ou pior: em coma.

Abraço.

Flores de Alquiler disse...

Un saludo desde Argentina y muchas gracias por sus cordiales visitas.

Excelente blog

Haddock disse...

ohh Zé... shiuuuuu...
neste universo blogoesférico devemos dizer que o neoliberalismo é o caminho, que o grupo Mello é muito melhor do que qualquer SNS, se não arriscamo-nos a ter a (neo)PIDE às costas... ah pois é!! um abraço.

e não esqueças: em público faz sempre a apologia de sócrates!

adesenhar disse...


sou um homem prevenido e para quando acordar, já comprei uma bengala tipo moca, no melhor estilo pós-modernista de Rio Maior.
assim haja um acordar colectivo e ela entra em acção.
:-)

asn disse...

Apetecia-me dizer o mesmo que Haddock, mas não podemos acobardar-nos, mesmo que, às vezes, o medo nos possa atormentar. Como é possível, depois de termos vivido tanta esperança com a revolução de Abril, chegarmos ao ponto de haver quem não tenha qualquer rebuço em dizer que anda com medo? Não diria medo físico, mas medo de represálias, no emprego, na sua actividade empresarial, em não conseguir ultrapassar determinados obstáculos burocráticos porque já se está identificado como reclamante em situações de injustiça. E aqueles pequeninos grãos de areia que se colocam deliberadamente na engrenagem para nos tramarem?
Estamos a caminhar a passos largos para um Liberalismo selvagem em que a lei do detentor do poder é que prevalece, legisla-se e faz-se primeiro, depois espera-se pela reacção?
E as asneiras que entretanto se fazem e que o Zé é que tem que pagar?
Lérias!
Um abraço, Zé.
António

Belzebu disse...

Este país de que falas está em depressão profunda! Não reage, não se indigna, não se revolta. O choque que o nosso Engenheiro falava, justifica-se agora mas não é tecnológico. É um valente choque com um desfibrilador.

Saudações infernais!

Ernest disse...

yo la verdad se muy poco de portugal. espero que aun haya alguna esperanza para todos los países que mantienen problemas económicos graves.

um abraco, caro amico

belinha disse...

A fotografia é terrível, onde a foste desencantar?Espero que não tenha feito parte do sonho...Quanto à situação da construção na Figueira há prédios por todo o lado, muitos estão parcialmente habitados, casas à venda(muitas)casas de Verão, casas de pessoas que querem vir para aqui viver quando se reformarem, e isso basta para dar um aspecto de abandono à cidade.Mas o que fazia falta era mais ajardinamento.Há zonas que ficariam muito catitas com um espacinho verde.O que me choca é ver apenas 600 assinaturas em 3 meses.Não é importante para a maioria das pessoas. Pessoalmente sinto a falta de manchas florestadas que desapareceram. Faziam-me bem à vista!

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Espero que me desculpe forma como faço os meus comentários, mas é pura e verdadeira...
Para mim não chega, dizer está bonito ou lindo – por isso gosto de deixar pensamentos frases de outros autores como presente da minha gratidão e do meu encanto do que leio, do que observo nas imagens e na escrita.
É a minha maneira de ser...
A critica faço-as, da forma como somos tratados pelo Estado que ignora os problemas da nossa sociedade e como pouco ligam aos grandes talentos que encontro nos blogs.
Peço desculpa e se alguém não gostar da forma como faço os meus comentários agradecia que me dissessem pois tentarei melhorar.
Sou apenas uma amadora de escrita que escreve pela beleza de sentir na escrita as palavras que me vão na alma e penso que é essa a beleza que encontro naquilo que leio cada um escreve com a sua beleza.
Não quero com isto desrespeitar ninguém até porque as palavras lindas, bonito têm um grande significado no meu vocabulário.
Boa semana
Desculpem-me a repetição do post, mas julgo que nem todos entenderam...

Esta é a frase que vos deixo: se pudesses estar perto de mim talvez encontrasses a resposta porque te olho, porque choro sem te conhecer. Se um dia te encontrar entregarei o meu sorriso, é nele que escondo tudo aquilo que sinto só para te ver feliz.

Beijinhos
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

madrigal disse...

Caro amigo (vizinho)

Infelizmente vivemos sob o regime de um Governo totalmente desprovido de quaisquer preocupações sociais. É ditatorial, autista, insensível, baseando-se numa maioria absoluta -para a qual eu nada contribui - para praticar os actos mais infâmes e contra a vontade da maioria da sociedade civil. A distorção do nosso sistema constitucional possibilita estes «abortos» em plena Democracia - uma ditadura com laivos e verniz de pluralismo.

Tenho a certeza de que o bom senso vai de novo imperar e que o povo eleitor, uma vez mais, vai concluir que é preferivel um pouco mais de «instabilidade politica» do que a alienação total da nossa liberdade e da nossa voz.

Um abraço do Madrigal

Jorge Rebelo

Savonarola disse...

É mesmo isso que está a fazer falta: acordar a malta! Enquanto o poder parasita toda a nossa sociedade, as massas, adormecidas por promessas de hipotéticas melhorias futuras, trabalham e sofrem a má qualidade de vida imposta pelo sistema capitalista, por sua vez protegido pelo poder. Ora, na ausência de leis laborais que protejam o trabalhador, competirá a este exigir o que lhe é devido!
Um abraço anarca

O Micróbio II disse...

4 anitos... lá pelo Micróbio! :-)

Movimento em Defesa do Rio Tinto disse...

Pelo nosso rio, vamos caminhar no Domingo.

Alien David Sousa disse...

"Mas seria que o país se desmonorava se apenas patrões e muitos políticos fossem de férias?"

Claro que não! Concordo contigo Zé.

Quanto à parte de o pais acordar. Aí já não sei não. Acho que neste momento o povo está anesteziado.

E a prova disso vão ser as próximas eleições. INFELIZMENTE!!!!

Saudações alienígenas

catarina disse...

"Há diversas modalidades de Estado: os estados socialistas, os estados corporativos e o estado a que isto chegou!" disse um dia um senhor, que nunca se deixou corromper nem pela politica nem pelo brilho dos galões militares.
Mas a simplicidade nao cai bem em Portugal e por isso hoje faz parte dos esquecidos da historia.

O estado a que isto chegou, esta frase vai-se adaptando desgraçadamente ao longo dos tempos a Portugal, vai-se adaptando a todos os governos (ou desgovernos) vai deixando cada vez mais o povo como ovelhas desgarradas, porque da esquerda ou da direita so saem oportunistas, velhacos, que de profetas salvadores da patria passam a comodistas que mal se apanham no "poleiro" olham para baixo para aquele povinho miseravel e pensam com os botões dourados do casaco, que os cães ladram mas a caravana passa. e isso é o que lhes interessa passar o mandato bem ou mal vistos desde que lhes chovam privilégios para eles e para os deles. é essa a mentalidade.
Ninguém quer saber do estado do pais, nem que se viva numa democracia onde poucos se atrevem a fazer manifestações, porque isso pode corresponder a desemprego certo,e ainda que hoje em dia haja o tribunal de trabalho que os defenda isso nao corresponde de forma alguma ao totoloto, mais importante do que um tribunal de trabalho que os defenda é ter um trabalho certo e um salario que garanta pagar o crédito da casa ou do carro, nem que isso implique contribuir para este estado democratico onde por ordem de força maior seja proibido fazer greve ou manifestar opiniões.

E por nao estar contente com o estado da nação, e com o estado a que isto chegou, parti, para não carpir magoas eternamente nem ficar velha e amargurada antes do tempo.

Um abraço:

Miguel disse...

Apesar de tudo, gostei muito do teu pesadelo ...!

UM BOM FDS!
Um abraço da M&M & Cª!

jpg disse...

Ter um pesadelo desses é terrível1

Felizmente que tal país não existe...

Abraço.

O Meu Jeito de Ser disse...

Vim agradecer a sua visita.
Bom, me deparei com mum belo txto.
Dizem que os sonhos são espressão de nossos sentimentos né?
Talvez o que para muitos pode ser mera coincidência,para nós é a mais pura expressão da realidade que nos ronda.
Um abraço.
Seja sempre bem vindo.

Vladimir disse...

então e não é que o pesadelo se está progressivamente a transformar em realidade?

Dae-su Oh disse...

Esse sonho é muito real, o país parece estar numa situação parecida à dessa imagem.

mixtu disse...

pesadelo, pois o país segue em sonhos... sempre na frente...
acorda... :)

abraço e gracias

Jofre Alves disse...

Passei para lhe desejar um óptimo fim-de-semana!