«A forma inteligente de manter as pessoas passivas e obedientes é limitar estritamente o espectro da opinião aceitável, estimulando concomitante e muito intensamente o debate dentro daquele espectro... Isto dá às pessoas a sensação de que o livre pensamento está pujante, e ao mesmo tempo os pressupostos do sistema são reforçados através desses limites impostos à amplitude do debate».Noam Chomsky

"The smart way to keep people passive and obedient is to strictly limit the spectrum of acceptable opinion, but allow very lively debate within that spectrum - even encourage the more critical and dissident views. That gives people the sense that there's free thinking going on, while all the time the presuppositions of the system are being reinforced by the limits put on the range of the debate." – Noam Chomsky

It will reopen now and then.



21 de fevereiro de 2007

as bichas

Conhecemos pelo menos três tipos de bichas: as que se acoitam no quentinho da via intestinal, as que arreliam os utentes das Repartições de Finanças e as que se pavoneiam por alguns órgãos de comunicação social, excluindo os seus diligentes trabalhadores.
É destas últimas que falo hoje, eu, que não sou homofóbica.
Sem se confundirem com a ténia nem com vulgar contribuinte, por serem mais ariscas e habilidosas, estas têm cada vez mais poder sobre as nossas vidas.
São elas, não sei se apenas pela lucidez do seu pensamento, que nos ditam as modas de toda a espécie. Desde as novas vias da política até às modas dos amores e desamores, dos "stripteases", dos "creams", dos "botoxs", dos "liftings", das comidas "light", "and so on"...
Faço votos para que estas últimas nunca venham a empestar a blogolândia porque, a verificar-se, ainda maior perigo correriam os blogues que não têm visitas nem "comments" correspondentes ao seu verdadeiro valor.
Digo isto, obviamente, sem a pretensão de pensar que os três, onde às vezes escrevo, se possam incluir neste mui restrito grupo de blogues... até porque, quanto a clientela, me parece estarem bem haviados...
Beijinhos.

'Zdefa Fava
engª. obras feitas

16 comentários:

mi despertar disse...

Gracias por tu comentario. escribes magnificamente el castellano...a mi me cuesta bastante el portuguez...pero entiendo
Abrazos desde miami

Laura disse...

Olá amigo Zé Lérias..
É verdade, mas temos por aqui bons comentaristas..nos nossos blogues, mas até ver, até ver, vamos andando.
Eu gosto de falar francamente, entendo que por vezes nem vale a pena, mas enquanto puder, o meu bloguinho que me foi oferecido por um amigo, ..Eu alguma vez seria capaz de fazer aquela nina das resteas tão bem, com a minha Luanda ao fundo, a ilha? Assim, dou o gosto ao dedo, já que não posso ouvir musicas telefonemas etc.. Por isso adoro blogues que digam algo e nada de trivialidades, e por onde tenho andado, a coisa vai sempre a eito.. Beijinhos da rapariga de Braga..Andei a ver os outros blogs e dou com uma letra do caralho ehhhhhhhhh até fiquei sarapantada, mas está muito bem elaborado ehhhhhhhhhhh..

adesenhar disse...

"até ao lavar dos cestos é Vindima."

por cá e por lá.

até acabarem as obras ainda muita tinta correrá.

:-)

david santos disse...

Olá!
Ó Zé, perdi-te dos meus horizontes, mas lá te consegui apanhar. Tudo ok?
Parabéns

PR disse...

Dasse as bixas, pá. Abraço,

Belzebu disse...

Deve ser o tal "lobby gay", de que tanto fala o doidinho da Madeira! Ele até ameaça vir ao continente para se certificar da existência de testículos na governação!


eheh!! Saudações infernais!

jpg disse...

Eheheh!... Gostei!

só gostaria de acrescentar que ainda há as "bichas dos conta-quilómetros" mas mesmo essas, muitas andam viciadas...

Um abraço, mesmo que não saiba quem sou. ( Isto porque não estou a escrever para o Zé Lérias, pois não?)

asn disse...


Boa noite, aqui nestas minhas coordenadas, é noite cerrada...eheheh
Gostei do texto. Eu, às vezes, aliás apeteceia-me fazê-lo sempre, arrelio os meus compenheiros de bicha, pronto está bem, de FILA, e, quando as coisas se propiciam, começo a falar sobre que se devia manter o termo BICHA em vez de FILA, que raio de modernices, que embirração com as BICHAS, mas que chatice, porque é que se há-de mudar o nome à dita, pois se smepte foi BICHA, até na tropa a malta andava em BICHA de pirilau, nos treinos lá em Mafra e no LUMIAR, porquê? temos que nos acachar só porque os brasileiros lhe dão outro sentido, mas que culpa temos nós? agora passamos de colonozidaores a colonizados? temos que ceder em tudo no que respeita a certos termos pelos menos, este por ezemplo o da BICHA, qual FILA qual carapuça, até nas Repartições Públicas lá escrevem bem escarrapachado "FILA ÚNICA", chiça, porque é que não há-ser "BICHA ÚNICA!.
Pronto, não concordo, que querem.
BICHA, BICHA, BICHA...
Arre!...
Um abração!
António

Conceição Bernardino disse...

Olá,
“ Somos a ponte para a eternidade,
Formando um arco sobre o mar,
Procurando aventuras para nosso regozijo,
Vivendo mistérios, optando por calamidades,
Triunfos, desafios, apostas impossíveis,
Pondo-nos à prova uma e outra vez,
Aprendendo amar.”
Excerto de “Richard Bach”

É com esta força que renasço todos os dias, para continuar a minha caminhada...
Espero que gostem deste pequeno presente.
Beijinhos, que a escrita nos una!
Conceição Bernardino
25-02-07
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

anatema disse...

Hola amigo:
Creí que había respondido a tu comentario pero veo que no es así.

Gracias por venir. Te diré que no vivo en Madrid sino en Zamora, una pequeña ciudad frontera con Portugal, situada al lado de Salamanca por el sur y León por el norte.

Tenemos una gran oferta cultural y artística, por eso, en ese aspecto no necesitamos ir a Madrid, pero nos gusta hacerlo con frecuencia. Para respirar el "aire" que ofrecen las grandes urbes, aunque esté más viciado.

Un saludo amigo.

Fallen Angel disse...

E com o David Motta temos uma nova bicha na cidade.

Abraço. :-)

o alquimista disse...

Nesta noite cai do céu a magia em gotas de diamante...cada gota aprisiona um querer, um sortilégio de luz...
Abraço

Savonarola disse...

Confesso que as bichas que mais me irritam são as das repartições públicas. Continuamos a ser o velho país das bichas para tratar da papelada, apesar de todo o "choque tecnológico" do Sócrates. A expressão dele, à partida, até que não soa mal de todo, só que, mais uma vez, é propaganda!
Saudações bloguistas

Opintas/Bernardo disse...

Ainda as bichas Kamarada? Abraço.

david santos disse...

Olá, Zé!
A conversa está boa...
Parabéns.

Eric Blair disse...

falta a bicha da madeira...